fbpx

Neste dia, a três anos atrás a essa hora eu estava voando para te encontrar pela última vez pai, dessa vez um encontro sem palavras, não que você falasse muito, mas sempre tinha uma calorosa interação e sempre um colo quentinho para mim.

Você me fez quebrar a minha palavra que não voaria 30 horas para te enterrar, você mostrou para mim o quanto eu estava errada, o quanto eu fui egoísta e o quanto eu precisava estar lá mais do que você precisava de mim.

Quando morre um dos pais, morre um pedaço da gente, mas a sua passagem me fez olhar para dentro e questionar crenças e padrões tão arraigados e fortes que eu nunca havia ousado questiona-los. Você na verdade fez nascer em mim um olhar diferente para como o mundo foi criado para mim, questionar cada estória e cada verdade absoluta. Nessa busca por verdades estou devagar me descobrindo, quem eu sou, o que eu quero, criando as minhas próprias verdades e ressignificando verdades antigas.

A sua passagem me despertou para quebrar o inquebrável, questionar o inquestionável e te dizer obrigada pai pelo exemplo de amor e doçura que me deu, pelo amor pelas crianças, pela integridade e retidão que você teve nas minúsculas coisas.

Entendi que você tinha um outro mundo dentro da sua cabeça, e isso fez com que você tivesse dificuldade de expressar o que via ou sentia. A falta de comunicação fez com que várias coisas fossem assumidas como verdade e hoje eu vejo o quanto tudo era mito criado pelas nossas cabeças fantasiosas.

Você desbloqueou em mim o padrão que não podemos sentir a nossa dor e junto com minhas irmãs queridas choramos suas perdas, contamos segredos dolorosos, falamos das nossas faltas e nos unimos por e para você.

Hoje honro a sua vida, a vida que me deu, os ensinamentos que herdei, a forma como eu sinto, o amor pelo ser humano e te peço perdão pelas palavras não ditas, pelos abraços não dados ou recebidos, pelas vezes que neguei seu carinho ou ainda pelas vezes que não fui capaz de te perguntar o que você precisava, quais eram as suas necessidades emocionais, ou simplesmente estar com você.

E você que me lê, o que você aprendeu com o luto de alguém querido? Como você sentiu com o luto? Da mesma forma que a sua família sente?

O que você aprendeu de você a partir de um luto? Me conta nos comentários

On this day, three years ago at this time I was flying to meet you for the last time dad, at this time a meeting without words, not that you spoke much, but always had a warm interaction and always a warm lap for me.

You made me break my word that I would not fly 30 hours to bury you, you showed me how wrong I was, how selfish I was and how much I needed to be there more than you needed me.

When a parent dies, a part of us also dies, but your passage made me look inward and question beliefs and patterns so ingrained and strong that I had never dared question them. You gave me an unusual way to look at how the world was created for me, to question every story and every absolute truth. In this quest for truths I am slowly discovering myself, who I am, what I want, creating my own truths and reaffirming old truths.

Your passing has awakened me to break the unbreakable, question the unquestionable, and made me able to tell you thank you Dad for the example of love and sweetness you have given me, for the love for children, for the integrity and righteousness you have had in the tiny things.

I understood that you had another world inside your head, and that made it difficult for you to express what you saw or felt. The lack of communication made several things come true, and today I see how much myth was created by our fanciful heads.

You have unlocked in me the pattern that we cannot feel our pain and together with my dear sisters we mourn our losses, we told painful secrets, we speak of our faults and we unite to and for you.

Today I honor your life, the life you gave me, the teachings I have inherited, the way I feel, the love for the human being and I ask your forgiveness for the words not spoken, for the hugs not given or received, the times I denied your affection or that I was not able to ask you what you needed, what your emotional needs were, or simply to be with you.

And you who read me, what you have learnt from the mourning of someone dear? How did you feel about mourning? In the same way your family feels? What have you learned from you from a bereavement? Tell me in the comments